Ismê Assessoria Imobiliária

Ismê Assessoria Imobiliária
Imóveis em Campinas - Barão Geraldo e Cidade Universitária - fone (19) 3289-4325

AINDA HÁ CONCORRÊNCIA DESLEAL ENTRE CORRETORES DE IMÓVEIS


Corretores de imóveis relatam situações nos quais os colegas não priorizaram o bom senso na venda. Por que esta falta de ética entre profissionais continua tão presente? 



Em qualquer área profissional, a ética é um tema amplamente discutido, e no mercado imobiliário não é diferente. Mas a surpresa (ou não), é que neste setor a maior queixa envolvendo ética ocorre entre os próprios profissionais. Que tipo de comportamentos são totalmente reprovados? Corretores de imóveis e usuários do Redimob relatam quatro casos que descrevem a falta de ética profissional.

Comissão mais baixa

O corretor de imóveis Alex Dias afirma que o código de conduta interno da empresa da empresa fez com que a situação que iniciou com falta de ética fosse revertida.

“Um colega negociou com o cliente metade de sua comissão, retirando desta forma a venda que estava fechada. O cliente cancelou dentro do prazo legal para formalizar com o outro corretor. Após ser descoberto, o corretor foi penalizado pela empresa e teve toda sua comissão cancelada e entregue ao colega que havia realizado a venda anteriormente.”

Falso anúncio


Para o corretor de imóveis Bruno Lucena, um caso típico de falta de ética que presencia entre os profissionais é visto diariamente nas páginas da web.

“Imobiliárias e corretores sem ética anunciam qualquer imóvel nos portais a preços baixos somente para tentar captar mais clientes. Ao entrar em contato para agendar uma visita o internauta se depara com uma desculpa esfarrapada, dizendo que o apartamento já foi vendido, mesmo quando o anúncio foi recentemente renovado”.


Um cliente, dois corretores

O corretor de imóveis Givaldo Ferreira lamenta ter que presenciar a falta de postura entre os profissionais no cotidiano.

“É muito comum no mercado o corretor se deparar com colegas de imobiliárias diferentes atendendo o mesmo cliente e querendo fechar o negócio ao qual não foi ele que mostrou o produto. Alguns até se propõem a negociar a comissão para tirar por um valor menor”, ressalta.

Sem parceria, sem negócio

Parceria é a palavra chave de Gustavo Macedo na hora de sua empresa fechar um negócio. Porém, nem todos possuem a mesma filosofia.

“Teve um caso que teríamos uma venda com a participação de três empresas. Solicitei os dados das empresas para elaboração de um contrato de parceria e seguimos com os procedimentos da venda. Na hora da assinatura do contrato questionei aos dois corretores, que eram pré- parceiros, quem assinaria pela terceira empresa. Foi quando o corretor mencionou que a venda seria dele diretamente, pois estava chateado com a empresa e não lhe daria comissão. Desfiz o negócio na hora.”

Disputa acirrada

Mas por que essas situações lamentáveis ainda ocorrem entre profissionais, fazendo com que ocorra a falta de confiança entre eles?

Para o corretor de imóveis Bruno Lucena, a grande falta de ética acontece no intuíto de vender cada vez mais, objetivando lucros exorbitantes. “E nessa briga desleal são os clientes que são diretamente atingidos”, afirma.

Para o usuário Gustavo Macedo, a falta das regras claras, treinamentos, culturas coorporativas que realmente valorizem o profissional corretor de imóveis, são geradores da falta de ética entre profissionais. “Quando é muito fácil participar, o controle de qualidade não funciona. Hoje a demanda por profissionais na área imobiliária é muito grande, as empresas estão contratando cada vez mais e com menos critérios”, afirma.

O corretor de imóveis Abraão Dahis concorda com Macedo. “Este mercado apresenta inúmeras oportunidades de negócios que, tal qual outros também, fazem crescer proporcionalmente, o percentual de condutas anti-éticas, imorais e amorais, infelizmente. Posso dizer que mantenho-me em vigilância constante, apesar de sempre acreditar que as pessoas são boas.”

“Os conselhos de cada região deveriam incentivar o profissional a ter uma postura melhor não só em relação ao colega, mas num contexto geral”, finaliza o corretor de imóveis Givaldo Ferreira.